terça-feira, 10 de agosto de 2010

Pelos correios


Bárbara, querida e centésima seguidora


Te enviei o livro, conforme o prometido, com certo atraso. E hoje, pelo Facebook, soube que havia chegado, direitinho. E vi sua foto, tão linda, com o Fábulas Delicadas. Sabe, por um certo defeito de fabricação, muitas vezes, olhamos com mais atenção para os gestos de desacordo, de rejeição, de hostilidade. Uma pequena ofensa, um silêncio qualquer sobre o que somos e fazemos, já é suficiente para nos abalar. E muitas vezes, damos menos valor para os gestos afirmativos, para os gestos carinhosos. Então, de algum modo, você me sinaliza para isto: para que eu aprenda, outra vez, e ainda mais, a saborear e guardar com zelo estes gestos que tenho recebido, de forma delicada e sem ruído, de pessoas que encontram no meu livrinho uma residência. Que gostam, e pronto. Os que não gostam, são bem vindos. Os que não lêem são bem vindos. Os que preferem outros escritos são esperados. Eu mesma prefiro muitos outros escritores. Nem sempre o que eu escrevo é o que eu quero ler. - Este é um ponto complicado, penso nisso depois, mais tarde, na hora das complicações.- Porque agora o que eu quero é retribuir e não sei como. Que fique registrado, para você, que esta terça-feira de agosto tem uma marca especial, nessa história, minha e muito particular, de me entender (o que não entendo!) como escritora. E tem a ver com a repercussão delicada, talvez quase silenciosa, de encontros e afinidades. E da manifestação carinhosa de uma escolha. Beijos e todo meu carinho!


[Bárbara, mora no Espírito Santo agora. Mas vive também neste endereço. Hoje eu soube que os Correios fizeram a ponte entre Salvador e Vitória. ]

2 comentários:

Chorik disse...

Que delícia isso, gente!

Bárbara Jolie disse...

adorei!!! :D