sexta-feira, 13 de junho de 2008

Amor duplicado

Olho o mapa e prendo um alfinete colorido sobre a tua casa. Os planos para a viagem já são a viagem agora. A memória do corpo começa a fazer festa e o mar salgado de Pessoa já acena, com ondas freqüentes. Daqui a alguns dias, sombras dissipadas. Daqui a pouco tempo, as crianças que somos estarão trilhando as ruas de Lisboa, as ruas do passado, as ruas dos encontros. Daqui a alguns dias, as noites compondo cenários nos quais armaremos tendas e oásis. Refúgio contra as tempestades e os rigores do inverno. Vou atrás do verão que te cerca. E quando o verão estiver comigo, minha casa será, mais uma vez, teu endereço permanente.

Um comentário:

Celine disse...

Lindo demais!!!
Jardins de amor, flor.
Beijos
Muito lindo