domingo, 20 de março de 2011

A tua palavra

Quero tua palavra 
na minha casa 
junto com o sol
as flores. 



Não traga tua palavra
invasora,
quebrando os cristais
feroz e embriagada.

Não traga a palavra que
pela fresta mínima da janela
me nega passaporte e idioma para os mundos
com que sonho.


Deixe-a bem guardada,
se por acaso tua palavra
estiver planejando
desmoronamentos.

2 comentários:

Í.ta** disse...

queremos a palavra que vibre e corte, né, não?

muito bonito poema!

abraços.

Lidi disse...

Li, não guarde a tua palava se ela, por acaso, estiver planejando belas poesias, como esta. Bjs