quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Nas nuvens

Pense nas nuvens 
como aula:
lições imprecisas e contínuas
de ondas inconstantes.


Pense nas nuvens 
como aula:
entregues ao vento
e dispostas para o seu olhar
distraído.



Pense nas nuvens
como aula:
nada tem a duração devida
nas alturas do improviso.

5 comentários:

Blog do Akira disse...

Vou passar esse poema e o anterior, que têm jeito e rítmo de canção para o Raberuan, para ver se nasce uma flor/parceria. Os poemas são belíssimos e as canções terão que estar à altura.
Saudades, Akira.

Noslen ed azuos disse...

Seus poemas aglutinam nuvens em minha mente, ultimamente as nuvens tem sido um espetáculo a parte no céu de Sampa, lindo de morrer!

A nossa comunicação pelo skype anda decepcionante, ñ acha...,estou curioso de saber de vc.

Bjs querida
ns

Í.ta** disse...

em sua incompletude. bonito isso.

tem algo de músicas lá no um-sentir :)

abraços.

Celine Ramos disse...

Penso nas nuvens e lembro que alguém disse que elas nos evitam de ver estrelas.

Thiago Quintella de Mattos disse...

E eu que via as nuvens como mensagens para ativar nossas figuras formadas pelo inconsciente. Agora, como aula, repararei em tudo isso que me aclarou.