terça-feira, 17 de agosto de 2010

Relógio

Outono é uma plataforma
onde os trens chegam,
tão certos da partida.

O outono agora,
revertido em dias
que se seguem
tão certos da partida.

O outono dos amores,
passado de árvore frondosa,
despetalada,
árvore sumindo,
árvore descoberta.


O outono
é um cenário de despedidas.
As folhas, impensadas,
sem qualquer controle,
vagam, à toa.

O vento,
mestre da criação,
lhes entrega um destino.
E levam o amor
para outra estação.

3 comentários:

Chorik disse...

Como essa mulher escreve! Prolífica maga das palavras. Ri muito com o marcador, é fantástico!

bj

Noslen ed azuos disse...

olá querida amiga, nitidamente percebe que estou sempre aqui por culpa exclusiva de seu escre’ver rsrs...romântica em!

bjs
ns

Í.ta** disse...

o outono é cenário de despedidas, sim.

achei lindo!

beijo.