terça-feira, 6 de julho de 2010

Pesadelo

Os distraídos são felizes. Preenchem o tempo acreditando em reencarnações. E são envolvidos numa teia infinita de distrações, para não ter medo. Pedem pizza, os distraídos. E se alegram, quando a pizza está pronta. Sentam por horas a fio, falando sobre o tempo, os esportes, o sexo oposto, o mesmo sexo, as diversas espécies de animais e de plantas. Ficam distraídos com as fases da lua, os contos de fada, as contas para pagar. O álbum de fotografias é o refúgio dos distraídos. Neste álbum em que a vida é estrategicamente editada: as melhores cenas, as cenas suportáveis, as cenas ilusórias. Os distraídos querem dormir oito horas por dia. Querem esquecer o terror das madrugadas, querem esquecer o lugar frio de onde vieram, querem esquecer o lugar frio que os espera. A noite é longa e só aquele que não se distrai viaja nesta tormenta.

4 comentários:

Chorik disse...

Eliana, esta tua postagem incrível me fez escrever alucinadamente uma espécie de contraponto. Vá ver quando der. Bj

Ricardo de Almeida Rocha disse...

Valeu, amiga.
Então você tem uma editora...
Encontro o livro em qualquier livraria?
Como foi (a edição?)
abraço
ah...

Maria Muadiê disse...

quero ser distraída

Lidi disse...

"Os distraídos são felizes." Lembrei-me de Fernando Pessoa ao invejar a ceifeira: "Ah, poder ser tu, sendo eu! / Ter a tua alegre inconsciência [...]". Beijão.