sexta-feira, 30 de julho de 2010

Missa

Este chão que já deu uvas
Espera apenas que venham águas ou desertos
Todas as uvas arrumadas
Efeito de verdade e festa
Uvas no ponto da desagregação do sumo
Até que se transfigurem
Na hora da missa,
pão e vinho incorporados.


Este vinho já foi fruto
Rio persistente de açúcar
Espera agora o delírio
Do corpo que o recebeu.
Transfigurado em pai e filho
Unidades de memória
na hora da morte
recebendo a hóstia
desacreditada e sem sabor.


Esta missa, cena ensaiada e ritual
Encerra o dia e seus arredores
Clama pelos sinos que estão mudos
E abençoa a todos os ausentes
Aqueles que perdidos no deserto
Encontraram no chão sem frutos
a casa do amor nômade,
jardim de verdades
no vinho das igrejas

8 comentários:

Í.ta** disse...

em três partes. ficou bem construído. bem descrito.

parabéns!

abraços.

Por que você faz poema? disse...

Gostei do verso "Clama pelos sinos que estão mudos".

Nilson disse...

Oi, Eliana, aqui pra agradecer (atrasadíssimo) pela sua presença e participação lá na Primeira Audição. Também adorei o grupo que esteve lá. E só hoje - falha minha, por causa dos contratempos -estou postando no blog pra fazer o registro. Vou te mandar um e-mail pra pedir o endereço do pessoal de Maracás pra mandar o Caixa! E a sua missa: massa! Bjs.

Nilson disse...

Oi, Eliana, aqui pra agradecer (atrasadíssimo) pela sua presença e participação lá na Primeira Audição. Também adorei o grupo que esteve lá. E só hoje - falha minha, por causa dos contratempos -estou postando no blog pra fazer o registro. Vou te mandar um e-mail pra pedir o endereço do pessoal de Maracás pra mandar o Caixa! E a sua missa: massa! Bjs.

Chorik disse...

Queria saber escrever assim!

isbela disse...

Olá!
Sou eu, Isbela, que falei com vc no Semcine.
Cheguei agora no seu blog, estou gostando, vou explorar mais!
Abraços.
(o endereço do meu, se quiser ver, clique no meu perfil que tem lá escrito.)

Gerana Damulakis disse...

Bem elaborado. Bacana.

Márcio Matos disse...

Oi, Eliana. Dentre inúmeras coisas bacanas, a blogosfera me apresentou a você (nós conversamos bastante durante o lançamento do livro de Nilson Pedro, na Tom do Saber). Agora, sou eu quem estou prestes a lançar o meu primeiro romance, A suave anomalia. Gostaria de convidá-la para o lançamento, dia 19 de agosto, às 19:30, na Galeria do Livro do Espaço Unibanco Glauber Rocha e também de te apresentar o blog do romance: http://www.suaveanomalia.blogspot.com/
Façamos do endereço mais um ponto de encontro virtual, espaço para bebedeiras literárias e discussões etílicas. Forte abraço!