quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Navegador

É propício entrar no barco e acreditar no que dizem os ventos. Apenas isso. Estar diante de horizontes variados, quieta num barco, aguardando o trabalho dos ventos. Nada além disso: repousada, observando as águas que fervem e a dança incontrolável do sol. Confiante de que, imersa nos limites de um barco, haverá o momento de libertação, quando os ventos assim desejarem.

5 comentários:

dansesurlamerde disse...

e no fundo do barco, cantarolar um Dorival...

Chorik disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Chorik disse...

Fiquei pensando naquela frase de Sêneca: não há vento favorável para aquele que não sabe aonde vai. Por outro lado, ir ao sabor dos ventos não deixa de ser uma escolha.
Bj

P.S. - Você tá brava comigo?
P.S. 2 - Adorei o Fábulas.

Eliana Mara Chiossi disse...

Chorik:

1. Brava com você? NUNQUINHA NA VIDA...

2. Saber que você adorou já meu presente pra amanhã...

Mil abracinhos

Lana Damasceno disse...

Eliana mais um texto maravilhoso , como sempre!!!! Me sinto tao bem quando visito seu blog e tem uma novidade tao boa como essa ...espero um dia ainda poder recitar esse texto...adorei mesmo....Beijoks