quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Temporal e queda de árvores

Tristeza não veste roupas novas
nem escolhe outro modelo de sapatos
saí pela rua com sapato apertado
roupa amassada
nem se importa

Tristeza é relaxada
deixa a cama por fazer
não tira o lixo
e deixa restos de comida estragando na geladeira


A tristeza rói unhas e
nem liga se indicam que há restos de comida entre os dentes
arrota bem alto, coça o saco na frente das mocinhas
e se for o caso
manda todo mundo para o inferno

A tristeza é uma funcionária desiludida
cansou de esperar aumento de salários
então,
quando sai
veste qualquer roupa, calça qualquer sapatos
e nem liga se está chovendo

Ela sabe que ao chegar perto
eles é que precisam estar protegidos

3 comentários:

Nílson disse...

Já a alegria é meio insossa. Pode ficar interessante com umas pitadas de tristeza. E vice-versa!

ana k. disse...

a minha tristeza é dissimulada... fica ali quietinha, como se não estivesse. mas o pé doeu com as bolhas do sapato apertado.

Manuela desdobrada em Dolores disse...

Sapato apertado incomoda demaisss da conta...mas a tristeza não tá nem aí mesmo, essa tão repudiada presença...essa que ninguém quer por perto, mas que o amadurecer exige que esteja presente. Você retratou bem, a roupa rota, os sapatos fora de moda criando calos com que ela nem se importa. Perfeito, só pra variar.

Beijoca :*