domingo, 29 de março de 2009

Escândalo

Não quero o amor metafórico dos poetas. Estou farta das flores brancas, dos versos declamados embaixo das janelas, das mensagens em garrafas zonzas. Quero o amor dos porteiros do prédio, dos seguranças, dos estivadores, do engenheiro, do vendedor de sapatos, o amor rápido do corretor de ações na bolsa de valores, do médico que fez plantão de 36 horas. Não quero o amor simbólico e verborrágico dos poetas. Quero um homem que use a língua para divertir meu corpo. Pra divertir minha alma existem os livros. Não quero o amor impalpável dos poetas. Quero excesso de mãos e bocas pelo meu corpo, nenhum verso e pouca conversa.

24 comentários:

Anônimo disse...

então...se prepare! As núpcias estão chegando...tome banho de leite e se cubra de rosas...que o pau vai comer!

Eliana Mara Chiossi disse...

Caríssimo anônimo:

como dizem os poetas:
isso não é uma rima e não tem solução.
Se fosse uma rima talvez tivesse uma solução.
O trecho "o pau vai comer" me agrada mais que
"banho de leite" e "coberta de rosas"...
mas tem gosto pra tudo!
E quem diga que
poeta bom, meu bem, poeta morto!

Rsrsrsrsrsrs

Cora disse...

Uau!

rm disse...

Anônimo,
com todo o respeito; mas a resposta da Elianinha é que se costuma chamar de "na lata e sem vaselina"!

quaquaqua

b disse...

Enrede se com o primeiro que te olhar, mesmo que seja um homem que não esteja e que nunca esteve dentro de seus critérios sobre homens.
E aproveita.
A alma é boa - mas o instinto, o primitivismo do corpo não precisa ser feito de nuvens para ser bom.
Tenha prazer e trabalho com este homem e depois ...é depois.

Anônimo disse...

O anônimo é covarde, donde se conclui que não é seguro, donde se conclui que deve ser um meio brocha ou tem ejaculação precoce.

Anônimo disse...

Como um pessoa pode ser tão idiota e entrar anônima e chamar a outra anônima de nomes correlatos? Oh pá! Deve ser de Trasdosmontes!

LÍVIA NATÁLIA disse...

Mara,

Alheia aos anônimos e nominados, vou te roubar uma frase, agora ela é minha!

Beijo!

Eliana Mara Chiossi disse...

O que mais me diverte é que o título da postagem deu o tom pros comentários...


E os anônimos são todos ótimos...
Brochas ou não, poetas ou não...


Cora, uau é você por aqui... Adoro, e tenho vontade de sentarmos para umas conversas.

B, você me entende, sabia??? Lê todos os meus pensamentos!


Lívia, menina que rouba frases? Venha e leve todas...
Saudades daquele café que virá ainda! Beijos

Késia Moura disse...

Ah, adorei,,
Tô na mesma onda que você, chega de conversa fiada.. huasuhsa

Beijos

Chorik disse...

Gemido pode? rs

Teus textos, ah! quanto de ti realmente eles falam? Continuo com essa mania de não separar o verso do versador.

Bjão Eliana

Patty Diphusa disse...

Elianinha, perfeito. Tem hora que dá vontade de falar chega, não me cante mais, já estou cantando. rs.

Bjs

Denise do Egito disse...

Oi, Eliana
Tô aqui , viu? Eu continuo sua seguidora, sempre. Minha fotinha está aí na barrinha à esquerda. Aparece quando vc clica em mais...mais...
Quanto à poesia, tá que tá, hein... Me lembrou uma amiga que disse que os estivadores, caminhoneiros, motoristas de ônibus, etc. são o "mercado alternativo"..hahaha
beijocas

Capitu disse...

Não penso que o amor dos poetas seja inatingível! Pelo contrário, o poeta sofre porque não lhes palpam o amor... Sendo poeta ou não, o problema é encontrar alguém que queira amar... E se doar... E fazer do amor uma verdade...


Beijo, Eliana!!

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Anônimo disse...

deseo que los poetas mientan,esa es la verdad que es tan rara cuando el espiritu empieza a gobernarte

mauro sou disse...

oi,
eu acho que seria interessante, ou 'mais interessante' e efetivo se você, em vez de contar o que gostaria de fazer, escrevesse uma história onde essas coisas acontecessem. Uma história onde uma mulher vive e compara o amor de certos tipos de homens. Daí ficaria claro para os leitores o que determina as escolhas da personagem.

valeu.

Eliana Mara Chiossi disse...

Mauro,

mas aí seria outro texto, outra narrativa, outros personagens, outros espaços, outros tempos.
Enfim, seria uma outra coisa.
E você sabe, como diz aquela máxima filosófica, que uma coisa é uma coisa e outra coisa, é outra coisa.

Mas, valeu...
Quem sabe, eu consiga mesmo escrever um texto assim, como vc falou, por encomenda...

mauro sou disse...

Não era propriamente uma encomenda. É que, na minha opinião, não existe 'poeta'. Existem pessoas. Um Bukowski, por exemplo, não se encaixaria nesse perfil que o texto sugere. Outro 'poeta' talvez sim. Por isso eu 'propus' uma história onde aquelas coisas aconteceriam de acordo com o próprio desenrolar dos fatos. Senão fica a impressão de que 'poeta' é um modelo acabado de gente.

Eliana Mara Chiossi disse...

Mauro

tem um mago das palavras que diria que pãos ou pães, é questão de opinião.
Outro diria que a opacidade da linguagem é a mãe dos mal entendidos.
Eu não disse e nem diria que poeta é tudo uma coisa só, senão tudo em mim seria uma fraude.
Não acho que poeta, funcionário público, pintores, ilustradores, músicos, rainhas, secretárias, comentaristas, sejam algo parecido com um modelo.
Ocorre que um texto nunca pode ser comparado, a meu ver, com outro que poderia ter sido escrito. Apenas isso.
E eu gostei da sua idéia e a expressão "por encomenda" é boa. Quer dizer que vou experimentar escrever seguindo esse insight que você me escreve. E daí, será outro texto, e provavelmente, outra estória.

Um abraço

Eliana Mara Chiossi disse...

Santo Deus das Citações me perdoe:

Guimarães Rosa na verdade escreveu:

"pãos ou pães é questão de opiniães"..


Mauro, desconsidere o modo como escrevi no outro comentário.

E a propósito, se eu fosse fazer no texto alusão a todo tipo de poeta que eu acho que existe, se o desejo fosse este, o texto ficaria muitoooooooo comprido...

mauro sou disse...

pois é, pois é.
eu, na verdade, vi no seu texto uma boa possibilidade, uma coisa lá na frente que pode ser bem legal, o texto como está, curto, pode, sem querer, ter te traido.

Agora é seguir, já estou aguardando próximo :)

Eliana Mara Chiossi disse...

Mauro,
pois é, mas como diria o mestre RM, grande amigo, que tudo vê pela ótica do bom humor, eu diria
que pra uma mulher, o melhor não são mesmo os textos curtos. Mas aí, seria outro tema, e menos solene...

Insisto, só num ponto,
não acho que seja eficiente comparar um texto com outro que poderia ter sido escrito. Os efeitos do texto têm raio de ação limitado. Para certos efeitos, o texto curto ou não, funciona. Mas nunca um texto vai ser capaz de ser eficiente para vários efeitos.
E textos curtos são um desafio que tenho enfrentado.
Assim que encomenda estiver pronta, postarei.
E cadê suas imagens, de que tanto falam lá no 1 1/2???

mauro sou disse...

Eu vi lá que vc tbm é da ZL.
Vivi durante uns 20 anos em C. A.E. Carvalho (entre Arthur Alvim e Itaquera). Depois saí por aí, rs