quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Balada

Noite de sábado e os desafios da cidade. Convites alucinados para o lazer. Peregrinação na fila para o melhor lugar na fila para o melhor. Aceito o teu convite e vamos deitar na grama. E em silêncio, abrigados pela cobertura de alfazema e lírios, ouvir o rumor elétrico da memória das estrelas.

8 comentários:

Vanessa disse...

como dizer tanto em tão pouco espaço, não?

parabéns, abraço

Chorik disse...

Eliana, adorei o rumor elétrico da memória das estrelas. Fico imaginando de que elementos químicos você forma suas moléculas carregadas de experiências sensoriais.
Bj

Eliana Mara disse...

Chorik

tenho umas coisas estranhas, umas burrices assim: entendo mas não aceito muito a mágica de telefones; entendo mas não aceito muito a constatação de que estrelas são parte do passado.
Sempre me intriga esta história de velocidade da luz. Não entendo os conceitos da física. E o que me salva
é só a poesia.
E hoje estou atacada. Intrigada com uns passarinhos (um casal na verdade) que tem feito dois ninhos na minha floreira. Mas sabe, é uma floreira ocupada pelo motor do ar condicionado e cercada de babosa por todos os lados. A babosa parece que vai invadir meu quarto, meio uma plantação selvagem. E o casal constrói, devagarzinho e há dias,
os dois ninhos. Hoje um deles me viu e avisou o outro que voou rapidinho.
Olha, estava aqui em casa um trio de pessoas tristes. Pedimos uma pizza maravilhosa com uma cerveja gelada, prometemos uns aos outros um domingo feito só de praia e tudo já melhorou.
Mas teus comentários são sempre tão doces que já vou dormir melhor (este meu comentário prolixo tem algo de etílico).

Beijins

Eliana Mara disse...

Vanessa

estou buscando isso. Tem sido uma experimentação diária. Não é fácil, mas eu gosto cada vez mais de textos mais curtos.

bjs

Chorik disse...

Eliana! Disse e vou repetir. O etílico torna algumas pessoas chatas e outras poetas. Lógico que o teu caso é o segundo. Poesia até no comentário do comentário. Isso não se ensina por aqui. Nem tomando umas.
Bj

http://everydaysomethingnew.wordpress.com/ disse...

:)
Bonito... Paz!

Janaina Amado disse...

Oi, Eliana, vim aqui retribuir sua visita tão amável. Gostei MUITO deste texto. E também vou retornar aqui, para ler os outros com mais calma, me pareceram interessantes, abração!

Pierre C. Cortes disse...

Trocar a fila do melhor lugar pela grama é uma das atitudes mais sensatas. É isso que estou buscando. É nisso que tento ser mais humano e feliz.
Beijos e sua poesia é incrível.