segunda-feira, 3 de novembro de 2008

Você pensa que eu sou daltônica?

Os que têm medo do mar e são exímios nadadores, me parecem sempre feitos da substância do pavão, pássaro que temendo perder o brilho e gozo do espelho, decide não voar e fixa os pés sobre a terra, enquanto se movimenta, exagerado. Um pavão é um animal e há nessa escolha pelo que é rasteiro uma explicação axiomática e plausível. Em mim, quando estou vestida de pavão, perco os grandes vôos de pássaros vagabundos e felizes, quando me ausento de mim e gosto da substância gordurosa de um vestido novo ou a máscara fria de azul, lilás e bege no meu rosto. Abro as asas para o público. O público bate palmas, faminto. Mas o público já não vê graça nesta redundância de cores, apoiadas nas mesmas asas barulhentas. Não dou um passo, apenas giro ostensivamente o corpo e levanto o pescoço, orgulhosa de ser um pássaro exuberante e covarde.

2 comentários:

Celine disse...

Lindoooooooo.
Orgulhosa.

Lindo demais.

rm disse...

Bem, se você for (daltônica), da próxima vez em que nos encontrarmos eu dirijo, ok? rssss