quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Princesa

Para Nicolau, agradecendo pelo empréstimo de um trecho para o post.


Numa pequena cidade, a pétala de lírio caiu de mau jeito. E fez despertar a moça triste que dormia há tantos anos. Murmúrio em seda, o discurso da pétala. E tudo ficou brilhante e quente. A moça abriu os olhos preguiçosos, desabituados do mundo. Quis tomar alguma água colorida e fresca. Teve vontade de apalpar veludos. Sentia saudades de vidraças e geléia de amoras. Não sabia falar ainda. E cantava.

13 comentários:

Nicolau disse...

Agora me digam: prêmio Nobel para que depois dessa homenagem?

Lindo texto. Fico feliz e agradecido.

Beijos

ediney disse...

cantava..texto leve e bom para ser lindo em dias que a tristeza parace nos vencer...

carteirodopoente disse...

beijos
eliana
tadeu
lindo
blog

Celine disse...

Linda.
Ela despertou cantando. Ótimo começo. rs
beijos

Andreia Santana disse...

suave como o contato de uma rosa na pele, ou como o vento que acaricia cortinas e traz o cheiro do amanhecer.

Denise do Egito disse...

Visualizei uma moça ainda virgem que mora no interior...

OlharMeu disse...

Obrigada Eliana!

A moça triste acordou feliz, cantando. Bastou um sussurro. Lindo!

Gazeta na net disse...

Olá,
Texto muito bonito, e um bela homenagem.
Gostei muito do blog, quero também agradecer a vossa visita, voltem sempre eu vou andar por aqui…
Abraço

Chorik disse...

O discurso da pétala. Sensacional! Retribuindo a visita e aproveitando para me deliciar com seus textos. Parabéns!
Abs
Celso

Olavo disse...

Olá..retribuindo a visita e para dizer que fique a vontade em meu blog para usar o texto..me sinto lisonjeado isso sim..
Achei super interessante o seu e uma bela iniciativa mesmo fazer seus alunos terem um blog..
espero sempre poder ajudar...volte sempre..
boa semana,abraços
João Olavo

K. (Incompletudes) disse...

oi bonita!

que bom que vc ainda passa pelo meu cantinho. Passei aqui para dizer que vi que daqui a pouco (19h55), começará novamente aquele filme no telecine Premium. Se tiver um tempo, veja desde o início.

beijossssssssssssssssss :)

K. (Incompletudes) disse...

É o terceiro dia seguido que vejo esse filme e consigo chorar...

acho que são os hormônios! rs rs rs
só pode.

não olho mais o horário do Telecine!!! vou desidratar desse jeito...

manda água de coco pra mim..rs.rs.rs


beijosssssssssss :)

Eliana Mara disse...

K,


estou ainda com um choro entalado.
Sabe, eu choro melhor sozinha. Já chorei muito, antes e agora estou mais escondidinha. Fui assistir o filme da vida da Edith Piaf, com um amigo novo, com o qual eu não tinha ainda muita intimidade. Poxa, chorei pra dentro, foi chato. Precisei ir de novo ao cinema, sozinha, pra chorar tudo que eu tinha direito.
O filme "August Rush" me dá vontade de chorar por tanta coisa...
De alegria, de indignação, de esperança, de tristeza, de crença nos milagres e nos milagres dos encontros.

Adorei! E nós estávamos em sintonia,porque quando retornei ao seu blogue, tinha visto o filme já quase no fim.
Super grata!

Beijos!