terça-feira, 11 de novembro de 2008

Eva

Em estado amoroso, recebo visitas, diárias. Entram pela porta, a canção e a mística. A superfície das coisas todas, agora revestidas de brilho, no ponto exato e maduro da luz e da claridade. Ainda quando baixa a noite, qualquer fase da lua é prêmio. Amorosa, tenho mãos ágeis, com as quais ofereço pétalas, voz e bálsamo. Sei dormir em pleno silêncio. Gosto de abrir as janelas no início da chuva. Nos seus braços, sou a sereia que devolveu a maçã e reside em todas as casas de água.

Um comentário:

Celine disse...

Linda...

quero morar em casas de água, mas nao no mar.