segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Caderno de desenho 1

Chegou ofegante o menino. E gritava: vi uma árvore com cerejas azuis. Tentei acalmá-lo. Palavras vãs e mal ouvidas. Ele era feito de gestos parciais e total impaciência. Certo de que era desacreditado, mostrou as mãos tingidas de um líquido inquestionavelmente azul. Aquelas cerejas eram a manifestação física de uma heresia. Inconformado com a suposta fraude, remóia argumentos tácitos: não existem cerejas azuis, então esta árvore é falsa, sendo falsa não é uma árvore, portanto, o que vi não existe. Enquanto isso, lambuzado de cerejas amarelas, Deus ria do menino que nunca aprendeu a acreditar em milagres.

8 comentários:

rm disse...

Sorrindo muito...

Também desejo boa noite!

Maria Elisabeth disse...

Exaltação. Fervor virtureal.
Menina + menino = peleja de pássaro canoro nas primeiras horas da manhã. Pássaros nas folhagens de árvores de frutos azuis. Cerejas amarelas. Céu azul. Que festival de textos e cores! Have I seen a rainbow here?! Guardemos todas as nossas ervas com cuidado.

Roda o filme Eliana. As cenas estão cada dia mais interessantes de serem lidas. Puzzle 1,2,3...there are interesting! I had fun reading!

Bye for now!

aeronauta disse...

Oi, Eliana, muito prazer também em conhecê-la! Seu blogue é leve, bom de ler!
Obrigada pela visita.
Abraços.

Celine disse...

Flor do meu jardim.
Que dia nos vemos mesmo? Pode falar.
Adorei, como sempre.

Beijos. Saudades

Maria Elisabeth disse...

Typo:
I meant to say: "Puzzle 1,2,3..THEY are interesting!" (not there are ...)

Eliana Mara disse...

Maria Elisabeth,

gosto demais das tuas palavras ao redor do que escrevo porque elas vão formando uma outra coisa, que também é lírica.
Fique por aqui. Faça companhia!

Eliana Mara disse...

Celine, flor do meu segredinho...

Você tem horas que é uma aparição...

Prefiro você, ao vivo e a cores, rindo e me fazendo rir!.

Nos encontramos, então!

As aventuras de uma mamãe de primeira viagem! disse...

Adorei...