quarta-feira, 23 de julho de 2008

A viagem de Lídia - parte 6

Ao tomar o espresso, Lídia seguia o ritual vagarosamente. Bebeu o cálice de água com gás, preparando as papilas gustativas para a chegada do líquido quente que a recolocava em estado de normalidade. Estava agitada. Imaginava que, sem tomar as devidas precauções, poderia encontrar Marcos no aeroporto, enfurecido. Lídia gostava de escândalos, quando era a protagonista dos mesmos. Após o café, dirigiu-se ao local já conhecido, onde poderia ter algum tipo de compensação, algo que acalmasse seu corpo. Questionada sobre a preferência quanto ao sexo escolhido, respondeu: Quero que seja homem. O massoterapeuta aparentava vinte e poucos anos e um corpo em forma. Rosto inexpressivo e mãos grandes. Para Lídia, era perfeito. Entrou na sala e o aguardou. Ao entrar, ele fez uma expressão de constrangimento. Lídia estava vestida com uma lingerie extremamente sensual. A imitação da pele de onça acentuava os objetivos da roupinha mínima. O moço tentou manter a situação sob controle e perguntou se ela desejava música e incenso. Lídia recusou. Perguntou ainda se havia algo que ela gostaria de informar, a respeito de algum desconforto ou dor em partes do corpo e se havia alguma recomendação antes de começarem a sessão. Lídia respondeu: Preciso que você faça seu trabalho em silêncio. E pode me apertar. Quero sentir a sua força. O massoterapeuta engoliu em seco. Lídia olhou em seus olhos, com ar de malícia quase contida e começou a retirar as pecinhas delicadas. Dirigiu-se para a maca e ao subir, pediu que ele a ajudasse. Pegou em um dos braços do homem alto e forte e passou a mão, com lascívia. Subiu e foi se encaixando na maca, com movimentos provocantes das nádegas. Lídia estava muito excitada. Pediu a ele que trouxesse a bolsa, pois havia esquecido algo. Olhando nos olhos daquele homem sem ação, pegou a carteira, retirou três notas de cem dólares, apertou as notas nas mãos dele. Lembrou do pênis de Marcos. Lídia preferiria ter trepado com Marcos. Seu corpo latejava. Voltou a deitar na maca. Agora, de frente para o massoterapeuta. Pegou uma das mãos daquele homem perplexo, trouxe para junto dos seios e mostrou a ele por onde começar a sessão.

9 comentários:

rm disse...

Mas que profissão divertida a desse moço, heim?
Acho que isto nunca acontece com economistas...

(rssssss)

Eliana Mara disse...

RM,

acho que um economista esperto muda de profissão a tempo...

(Rsss também...)

rm disse...

Elianinha,
pra quem mesmo eu devo mandar o currículo?

isasidney disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Celine disse...

Hummm..
Ela deitou de pernas abertas??
Tá muito bom!

Anônimo disse...

Mara,
O anonimato faz parte do mistério,querida! Tenho certeza de que você sabe quem sou! Ou então imagina.
Essas viagens de Lídia já estão a ponto de virar livro. E você tem talendo pra isso. Amei!!

rm disse...

Ei Celine,
também não precisa levar na bucha essa coisa de "inscrições sempre abertas", né?

(rssssssssss)

Celine disse...

hahaha...
RM, obrigada por me alertar sobre isso.
rsrsrsrsrs
bjo

Geraldo disse...

Oi