quinta-feira, 6 de março de 2008

Zoom

A primeira cena preencheu a tela imensa. No escuro, alguns sussurros, restos de conversas e guerras. O gesto em seu início, duas mãos oferecidas, em véspera de afeto. Vento forte de areias, dispersão e fuga. Agora assistimos ao filme sobre desertos.

3 comentários:

Mr. Almost disse...

É verdade, assistimos, sim:

Eu: - Olha lá, um camelo! E outro, e outro...
Você: - Hummm... E que tem os camelos do filme a ver com sua mão pousada nas minhas coxas, hein?...
Eu: - Rssss... Ah, a imensidão do deserto me faz sentir muito só, sabia?...
Você: - Bem, nesse caso, cuidado: pode ter tempestade de areia. Não se aventure demasiado...
Eu: - Pode deixar! Eu cuido...

rm disse...

Ah Eliana,

desculpe, mas tô quase (almost) tendo um troço de tanto rir...

Filme de camelo? Eu heim?

Eliana Mara disse...

O Almost desfaz a solenidade do post com uma esculhambação, que eu adoro. E se deixar por conta da imaginação dele, vira um roteiro de filme norte-americano tipo Z.
Abraço.