segunda-feira, 17 de março de 2008

Ler pra me salvar

Se eu me chamasse Agnes, não saberia de cor o nome dos países. Teria medo de trovões e faria tricô com agulhas finíssimas. Se eu me chamasse Agnes, teria uma vida de romances. E um ar sonhador, a cada instante em outras pátrias. Escreveria no meu diário: hoje conheci um rapaz e meu coração já não me obedece. À porta da sua casa, iria chorar com a notícia. Eu sairia pelo mundo, à sua procura. Na mala, echarpe vermelha, caderno para anotar o nome das ruas e a cor das escadas. Se você me chamasse, ao longe: Agnes, Agnes. Eu, habitada por outros nomes e veias, correria como atriz de cinema, para entregar meus beijos tolos e minhas idéias vagas.

3 comentários:

junkiecareta disse...

Mas hoje é um dia de descobertas... depois de achar a Análie, agora encontro essa delícia de texto. É seu? Um gostinho de Caio lá no fim.
Parabéns.
Muito obrigado pela visita.

Mr. Almost disse...

Lindo!

- Agnès, Agnès, recebi suas ideias vagas, mas... Cadê seus beijos tolos?...

incompletudes disse...

E, tem que lê para ser perder... :)

adivinha em que grupo estou?

lindo texto!!!

beijos querida, boa semana.

K.