domingo, 10 de fevereiro de 2008

Olimpo

Não piso outra vez nesta pista. Esta linha imaginária é mesmo feita de concreto e aço. No seu país do conforto, não me acho. Volto para minha pátria, ânsia. Era uma vez o revólver. Dá a largada, você dispara. Ao longe, já não posso vê-lo. Diante da multidão que fica, e é tão disponível, ensaio uns passos de dança graciosa e digo coisas bonitas. Enquanto você se afasta, armo a tenda e dou autógrafos.

2 comentários:

rm disse...

Putz, menina! Mais um seminário ou congresso? Cansa não, baianinha?

Tô brincando, mas ficando fã do seu estilo hai kai...

Boa sorte!

Anônimo disse...

Olá, Eliana.
A multidão só fica disponível para coisas bonitas.
Minha página, que você perguntou, é http://jrmarino.zip.net/
Beijos,
João Renato.