quinta-feira, 24 de janeiro de 2008

Viagem

O oceano nos separa. Acima dele, os céus vão te trazer de volta. Há muito tempo te espero. Tanto tempo, que já ia me esquecendo de limpar a casa, dar água para as plantas e alimentar meu cão. Esperei por tanto tempo e fique velhinha, cabelos brancos, osso fragilizados e uma dificuldade de entender a nova geografia do mundo. O mar deixou de falar comigo. E sentada aqui, nesta margem, sei que chorar é inútil e nada higiênico. Se você chegasse, nem me reconheceria. A jovem feliz e faceira, andando em saltitos, é agora uma anciâ incrédula e paciente. Não tenho pressa neste dia. Nem nos outros.

Nenhum comentário: