sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

Madrugadas

Antes de te conhecer, eu era isso que sou agora. Não vou te contar uma história bem arrumada. E se contar, ouça, mas não acredite. Mudou o fato de, sem você, eu nem saber mais para que serve esta parede pintada de lilás, o fogão novo e a reforma dos sofás. Você sai da cena, e o espetáculo continua, mas fica tão sem graça. Sem você, eu vivo bem. Desfruto de todas as belezas e enfrento todas as dores que aparecem. Eu vivo sem você. Porque não desisto nunca de esperar o teu retorno.

2 comentários:

r a c h e l disse...

Bonito demais isso!

Eliana Mara disse...

Rachel,

Escrevi isso quando esse sentimento estava intenso e só eu entenderia.
Gostei da tua visita.
Apareça.
Beijos.