quinta-feira, 19 de abril de 2007

Peregrinação



Ao peregrino e belos horizontes



antes que seja tarde, antes que hoje deixe a sala
e ao menor olhar, já seja hoje de novo...
um outro hoje, perfeitamente descrito, já que não existe forma alguma de tocar o amanhã.
quero deixar as mãos de minha alma, que agarram cenas passadas, e todas elas doem.
porque as cenas boas desajustam o sabor do hoje.
porque as cenas estragadas deixam o hoje mal cheiroso.
antes que seja tarde, a cor das paredes não vai me assustar
antes que seja tarde, vem logo o som do caminhão recolhendo os detritos de todo o lixo que acumulamos enquanto o hoje de ontem escapou.
Olhe devagar para o caminhão que ruidosamente chega na sua rua, antes da madrugada,
e sai recolhendo os detritos, conjunto explícito de todos os apartamentos superpostos.
bem antes que seja,
antes ainda,
seja tarde
ou seja hoje,
esteja,
pouse a doçura de suas asas informes
na pele de meu coração higienizado.

Um comentário:

maricelma da disse...

A brevidade desse hoje que todo mundo acha viver, o descartável do cotidiano que na verdade não se descarta nunca! Me espanto porque cada vez que leio escritos seus, mais amplo encontro seu olhar fotográfico! Muito bem costurados os cortes dos versos do hoje,ontem e da madrugada. Vida longa parpa as inscrições sempre abertas!