quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Fadas

Nasce uma pessoa pequena. Pequenos braços, pequenos pés, olhos pequeninos. E então, ágeis e flutuantes, chegam as fadas. De onde elas vêm? Quem avisa a elas que uma pessoa pequena nasceu? Chegam. Examinam a pessoa nova. Concentradas, em transe, assistem ao filme que aquela pessoa vai viver. E de posse de suas varinhas mágicas, de seus ditos mágicos, de suas alegrias desmedidas, confiantes no milagre, abençoam. E pedem a Deus que proteja a todos: fadas, animais, florestas, águas, pessoas que nascem pequenas.

7 comentários:

Noslen ed azuos disse...

E nos leva pela mão quando a vida finda.

Bjs
ns

Pierre C. Cortes disse...

Oba!!!
Apesar de ser grande, quero minha fadinha.

Beijos.

Anônimo disse...

Eliana, pedem para o deus das pequenas coisas, o único que tem realmente bons olhos :)
Lindo post. Provocante e poético.
Bjs.

Bípede Falante

Nilson disse...

Pena que as pequeninas pessoas vão deixando as fadas para trás: às vezes fico pensando se a inocência de fato pudesse dar as cartas neste mundo!

Djabal disse...

O nome do blog é um achado. Espetacular.
O conteúdo é outro. Uma mensagem de boas vindas como essa é suficiente para uma vida inteira. Ao menos de quem a lê. E como disse a Bípede, peçamos aos deus das pequenas coisas e cem por cento de aproveitamento está garantido. Parabéns, uma vez mais.

Maria Muadiê disse...

por onde andas?

Nareda Potin disse...

A fada me mandou passar aqui para deixar um beijo.