sábado, 12 de junho de 2010

Genêse

Tudo começou com o trabalho dos ventos. Pois antes, o mar estava parado, e o deserto, então, vazio. A lua sem giros e o sol, monótono. O vento acordou, fez o mundo em sete dias. Criou até Deus. Deus, movido pelos ventos, desenhou um mundo perfeito. E lá, imaginou o amor. Começou com dois exemplares, mas libertou também plantas, árvores, maçãs e cobras. Amor espalhado, abriu as portas. O vento levou os amantes, a fúria, as cores vermelhas, os dragões, as histórias. Deus descansou, sem nenhuma culpa. E o vento saiu para trabalhar. Dividiu os mares, acionou a tempestade para que ninguém ficasse parado no mesmo deserto. O vento, criador de tudo o que existe, criou o amor, ar em movimento.

6 comentários:

Maria Muadiê disse...

Eliana, que texto bonito. Bem que eu desconfiava, até pelo excesso de amor que provoca em mim, a culpa é dele, do vento.
beijo

Luna Freire disse...

Por isso Dante põe o vento para castigar os amantes no inferno???

BATALHAFAM disse...

O correto,talvez,fosse comentar o seu belo e provocante "Gênese"; mas, depois de tanto tempo, ao saber do seu "Fábulas Delicas", e podendo te encontrar na rede, quero parabenizá-la pelas enxutas, suaves e, instigantes crônicas e poemas. Como você, poucos são os abençoados por éolo. Para sua memória:"O sapatinho fica guardado (com ele nem o céu é o limite) e a velocidade desse encanto fica fluindo, subindo, voando, voando, voando...
Beijocas e muita luz!

BATALHAFAM disse...

Ops: "Delicadas"

Noslen ed azuos disse...

lindo...linda, sabe que descobri que gosto de ler suas palavras em qualquer momento do dia, ñ importando meu estado de espírito, ai! quando morrer sentirei falta.

ns

Eliana Mara de Freitas disse...

Batalhafam, seria uma super gentileza saber quem você é!

Beijocas também!