sábado, 22 de maio de 2010

Quatro mãos

A vida dura menos que um poema
Mas o poema só pretende durar
uma vida
ou menos
O poema é menos
E por isso é tantos
Tantos poetas
Tantos partos
Tantos papéis rasgados.

A vida é menos
se não temos poetas
nem loucos
nem mal amadas.
As mal amadas pedem poemas
As feias são perdoadas

A vida é menos
de vez em quando,
até do contra.

A vida se precipita contra si mesma
sendo escudo e lança
fera de sua idêntica tristeza.


A vida é menos quando um poeta parte
e é máxima quando sua poesia permanece

A vida é isto
tudo
tanto
que até se esquece
de que não há fios separando
poema e vida.

E tudo cabe num poema
Menos a vida,
que se encaixa
no intervalo entre tudo
e nada.