sábado, 8 de maio de 2010

Pessoal

Porque hoje é sábado, amanheceu um dia triste na casa do meu amigo, um dia cheio de nuvens e chuvas frias. Mas aqui, da janela o sol me espanta, sol explícito. Não estou mal, não estou triste, livros de auto-ajuda não resolvem mas também não me atrapalham. O que sempre volta é esta total inadequação. Não, não sou deste mundo. Mas finjo muito bem, quando é preciso e quando é suportável. Não posso ser deste mundo em que um automóvel grita sobre meu corpo. Não posso ser deste mundo em que o adulto fere até o infinito as plantas, as casas, as crianças. Não posso ser deste mundo quando conheço a covardia do meu amigo e a minha própria. Tantos desaforos que guardo lá em casa. Tantos delírios aguardando. Tanta sede, tanta fome. E a vida, sempre isso, por um triz, o mal, a ruína, o esquecimento, uma estrada que esquecem, de repente, de continuar. E com ela o caminho acaba. Sem haver direção futura. Hoje é sábado. E não sou deste mundo

5 comentários:

Ludmila Rohr disse...

..mas fico feliz que voce esteja nele....

Chorik disse...

Desejo força e coragem a ti e ao teu amigo. Tenhas um feliz dia das mães. Precisamos que sejas desse mundo. Nem que sirvas de contrapeso.
Bj

Luna Freire disse...

Sim, vc é deste mundo!
Por que há outros mundos neste mundo. Mundos que não aparecem na TV. Existem mundos onde os automóveis adormecem e as crianças empinam pipa. Existem, sim, juro!!! E continuarão existindo, enquanto houver poetas ou gente com poemas no coração.

Noslen ed azuos disse...

mundo...mudo.

bjs para todos os dias da semana.
ns

Andréia M. G. disse...

Seu texto me fez sentir uma identificação tão grande que me deu vontade de chorar. Em muitos momentos sinto que não combino com esse mundo, ou é ele que não combina comigo. A ordem é indiferente. Saudades e sentida por não ter continuado (sabe do que falo).

Bjo grande!