terça-feira, 6 de abril de 2010

Vigília

Não posso dormir. Há um guarda em minha rua. Que faz uma vigília há muitos meses. Fica de prontidão para que eu não durma. Também não me responde, quando pergunto: que utilidade pode haver em me impedir o sono, por tantos meses? Ele, o guarda, não me diz nada. Circula em volta da minha casa, faz a ronda, sistematicamente. Se percebe que meus olhos estão se fechando, dispara um alarma e me desperta. O guarda não é feliz. E nunca dorme.

3 comentários:

dansesurlamerde disse...

que guarda mais xarope.
foge daí!

beijo.

Luna Freire disse...

Põe uma Maragugina no suquinho e oferece ao guarda...

Chorik disse...

Pior é que você paga por ele, né não? rs