sábado, 17 de abril de 2010

Caixinha

O porteiro avisou. O carro amarelo e azul dos Correios na frente do prédio. Entrega expressa. Manda pelo elevador... Não posso. A senhora tem de assinar o formulário. Ela desce, o porteiro vê as olheiras fundas, o cabelo desarrumado, e estranha, sempre acostumado a vê-la alinhada, chique. Uma das moradoras com a qual ele sonha. Então, ela olha a caixa e sobe, mais desanimada. No apartamento, procura uma faca para cortar aquela fita adesiva. Abre e vê o dedo anular, com a aliança de noivado, e o sangue. O bilhete é muito claro: o sequestro começou.

5 comentários:

Daniela Sampaio disse...

Tem certas coisas que ainda não sei dizer. Mas alguma hora ainda saberei todos os acentos das suas entrelinhas.
... E que o show comece.

Maria Muadiê disse...

Êta porra!

Chorik disse...

Cacilda!

Noslen ed azuos disse...

É neste caso vão os dedos e também os anéis, ainda bem que não começou com a orelha, já pensou,...pior mesmo seria com as genitálias do coitado.

Depois de muito tempo eu continuo te mandando bjs.

ns

Luna Freire disse...

Fiquei em dúvida:
Seria um sequestro de fato e o dedo anular e aliança seriam do noivo?
Ou sequestro é o próprio noivado e são o dedo anular e a aliança dela própria?