segunda-feira, 24 de agosto de 2009

mesa branca

Exercício de roteiro. Primeira versão.

Começa a cena. Foco na mesa. Madeira boa. Madeira não tratada ainda, mas com uma camada de verniz. Tem brilho. Verniz sobre as naturais imperfeições. Uma toalha é colocada sobre a mesa. Aparecem as duas mãos que se movimentam.foco no movimento da toalha se ajeitando sobre a mesa. As duas mãos alisam a toalha e finalizam o ato: por toalha sobre a mesa. A toalha é branca, rendada. Pode indicar pelo menos três coisas: jantar sofisticado (de ocasião especial), volta a rotina na sala de jantar, sessão espírita de mesa branca. O expectador só vai saber na medida em que os objetos vão sendo colocados sobre a mesa. É reunião de evangelho seguindo princípios do espiritismo, evangelho em casa. Cinco lugares. Copos de água. Jarra de água. Livros no centro. Alguma vela. Após colocação dos objetos, ruídos das pessoas chegando. Pedaços de cena das pessoas sentando e se colocando em seus lugares e posturas. Silencio. Foco nos ruídos externos, apenas. O homem tem o rosto marcado por choro excessivo. Aparência forçada de calma e resignação. Abre o livro-evangelho. Lê o salmo lido tipicamente em funerais. Para no meio da leitura, larga o livro. Segura a cabeça com as mãos. Começa a dizer lentamente “Não” olhando para algum ponto na mesa. Intensifica a negação com gestual (olhar perdido, movimento da cabeça, expressão vai ficando mais desesperada, num crescendo. O ápice é interno então ele não intensifica em quantidade de movimentos faciais ou choro forte. Quebra a expectativa (ou lógica) do crescendo. Pára. Como se a respiração estivesse suspensa. Segura o ar. Não pisca. Tensiona o corpo, como congelando. Fecha os olhos. Chora (ou é chorado pelo corpo). O choro sai sem controle mas sem nenhuma resistência e nenhuma pressa. O corpo vai amolecendo, abaixando tudo: sobrancelhas, pálpebras. Expressão de alguém que está sendo dominado por um sonífero. Corta.

7 comentários:

Gabriela disse...

Obrigada pela visita no meu blog, deixou-me honrada (:
Acompanhei passo a passo as cenas no contexto do texto emitido, a vizualização que os detalhes trouxeram à mente foi incrível! Às vezes o choro é a única resposta das ações que querem ser expressadas.
Você é escritora?
Beijos e gostei muito do blog.

Pierre C. Cortes disse...

Demais.
Que venha loga a segunda versão.
Beijos.

LÍVIA NATÁLIA disse...

Muito bom. Fiquei querendo saber o resto...

Chorik disse...

Um dia você vem aqui em casa e dá uma modificada nesse roteiro...rs
Bj Eliana!

Nílson disse...

Muito legal! Uma cena muito bem construída! Queria te agradecer de novo pela presença lá no encontro de blogs da Piola. Foi bem legal. Te esperamos lá na terça! (Tô adicionando o blog lá no Blag).

Noslen ed azuos disse...

Apesar da tensão do momento, suas palavras foram matemáticas, gostei do ensaio e da impressão. Deste jeito vai começar a escrever a realidade para ñ parar mais.

bjs
ns

Lidi disse...

Adoro essa escrita cinematográfica. Beijo, Eliana!