quarta-feira, 2 de abril de 2008

Aniversário

Ontem, veio um choro incomodo e não havia colo. Desses choros que não tem abrigo. Meu amigo ao lado, conforto na sua amizade, não iria entender uma tristeza sem origens. Senti saudade dos amigos mortos, senti saudade dos filhos que não tive, do marido que perdi na guerra, da mãe e pai que nunca se amoldaram aos meus desejos infantis, saudade da grande amiga que deixei de amar, saudade de ser a pessoa mais importante de alguém escandaloso. A véspera do aniversario é uma travessia. Os ventos irados, as águas que dançam sem obediência nenhuma, marés de lembranças vãs. E eis que as horas se movimentam e erigem um dia novo, a me exigir que levante, cuide do corpo, ouça vozes de amigos distantes e sua memória. Acordo, me toco e sei que este é mais um dia e mais uma chance para a lição de ser eu mesma minha mãe, meu pai, meu homem e minhas alegrias.

5 comentários:

r a c h e l disse...

Mmmm, o aniversário é real? Então parabéns. E é difícil ser tudo isso, né?

Beijos querida,

rm disse...

Curioso, Lilica.

O sentimento de véspera, tão presente na minha infância e juventude, desapareceu por completo.

Nos últimos anos meus aniversários passam sem deixar marcas...

Celine disse...

Posso te ceder meu colo, sem precisar saber as origens. A gente não sabe de tudo que sente.

(Parabéns, mesmo se não for aniversário)

Bjos

Junkie careta disse...

"Saudade de ser a pessoa mais importante de alguém escandaloso".
Muito bonito.

Patty Diphusa disse...

Uma travessia que já apelidaram de inferno astral. Mas ela é mesmo diferente.

Sinto tantas dessas saudades. A pior é a do amor que vc sequer conhece.


Bjs