terça-feira, 16 de outubro de 2007

Caixa postal

Antes de entregar a carta ao funcionário, coloquei três gotas de meu perfume preferido. Retirei o batom e decalquei os sulcos de meus lábios sob a pele tocada, das folhas delicadas, em papel finíssimo, pura seda.
Servi-me de toda a delicadeza de gestos e minhas mãos grafaram carícias pelas letras coloridas e as palavras quase tolas. Encostei o envelope em meu peito, suspirei demorada e decalquei o selo, com a saliva disponível para os beijos que ainda vão chegar, quando esta carta estiver abrigada nas tuas mãos generosas e quentes.

2 comentários:

anarresti disse...

:D

Ly disse...

risos....desculpa é que eu sempre tento ler além das linhas, uma amiga diz que faço livre associação de idéias....eu já imaginei o carteiro sendo beijado...

Fato é que amei este texto!!! d+ da conta

bjs