terça-feira, 24 de abril de 2007

Agora sobra o dia que fechou as portas. Agora, braços soltos, uns bocejos e os deslizes. Momento aquele da maquiagem entregue, contorno borrado, superfície mímica, lábios não simétricos.

5 comentários:

Alba disse...

Parabéns, seu blog está lindo!!!
Seus textos são ricos e profundos; sensibilidade à flor da pele, sutileza aparente e inteligência punjante. Não foi à toa que te apelidei de Mara Maravilha e assim te chamo, porque é isso que és.
Este meu comentário vale para todos os textos, postei aqui porque não tem espaço para um comentário geral, então vai aqui mesmo.Beijos, Alba.

Joel disse...

o mundo tem inscrições sempre abertas...o problema é a burocracia e a fila!

Eliana Mara disse...

a burocracia e a fila, Joel, são as cancelas do mundo. Bem vindo. Cadê teus poemas?

Eliana Mara disse...

Alba, suas palavras ajudam a ter boa noite de sono. Amanhã estarei no Rio buscando fontes alternativas de poesia e música. De novo, nas viagens de roteiros e cinemas. Vamos ao café, na volta?

Joel disse...

tomarei coragem e te mandarei uns poemas esparsos...