quinta-feira, 9 de junho de 2011

Quieta

De repente
por dias seguidos
a palavra fugiu.

Depois, outros dias vieram,
e nada além de verbos ordinários,
usados para pedir água
ou ir ao banheiro.

E eis que,
num dia sem sol,
chegaram todas,
enfeixadas num ramo florido,
flores sem endereço,
gestos indefinidos
e sentimentos vagos.

As palavras chegaram
e me pediram:
silêncio!

5 comentários:

Renata!!! disse...

Amei isso!

"As palavras chegaram
e me pediram:
silêncio!"

besitos

Jr. disse...

tentei escrever alguma coisa agora, mas a palavra acabou de me fugir!
acho que elas fazem isso cmo frequencia... por isso falo pouquinho rsrs
tchauzinho!

Maria Muadiê disse...

muito bom!
ai, as palavras...não são fáceis!!

Chorik disse...

Ouço lá de longe outras palavras pedindo: escreva mais, Eliana, escreva que precisamos de ti para fazermos sentido!

Bj amiga!

Lidi disse...

"As palavras chegaram
e me pediram:
silêncio!"

Que maravilha! Amei!

Mas estou com o Chorik. Acho que existem outras pedindo para você não silenciar. Bjs