domingo, 10 de abril de 2011

Novo romance

Ela começa a andar pela casa. E no chão do quarto, todas as bolsas estão espalhadas. Não só as bolsas, mas todo o conteúdo. Ela está procurando as chaves para poder sair e não encontra. No desespero espalha todos os objetos. Do alto do quarto, pendurado em algum lustre imaginário, você veria: cadernos,agendas, creme para cabelos, variados tipos de escova dental, meias limpas, meias para lavar, chinelas, vestidos, caixas de remédios vazias, remédios para dormir, remédios para emagrecer, remédios para dar ânimo de manhã, vitamina D para a perda óssea, óculos escuros, óculos de grau, carteira de identidade,moedas, cédulas, cartões, cartões de taxistas, calcinhas limpas, calcinhas para lavar. E mais ainda, porque você ficaria cansado de listar o caos.

Um comentário:

Noslen ed azuos disse...

lustre imaginário feito um sol azul na constelação caótica num mundo sem portas para abrir.

continuo assim gostando de me perder em suas bolsas.

bjs
ns